<$BlogRSDUrl$>

domingo, março 20, 2005

-------------------------------------------------
É desagradável passar este tempo todo sem postar. Vem o leitor, esfaimado e sequioso, e vê o Freitas e o retrato dele. É coisa que não se faz. Mas pior é quebrar o silêncio apenas para dizer que este blog fechou: este blog fechou. Houve confusões várias na administração. Em resumo: não nos pagam. Não nos pagam e nós sem receber não postamos. Além de que o script Cardeal voltou à oficina e o Machiavelli às ruas de Caracas, onde retomou a velha alcunha de «La Princesa». O Guillotin pôs-se a testar um novo engenho, todo zeloso, sem deixar mexer, e acabou por trilhar o cocuruto. É o que acontece aos invejosos. Depois há o Robespierre e os inimigos do Brasil. Está farto de insultos e micróbios no PC. Não há dinheiro, não há vontade. A página continua aberta e há ainda 243 posts por vender. Aceitam-se encomendas até ao Verão, o procedimento é o mesmo.

P.S. Foram vendidas algumas passwords, pelo que alguém poderá vir cá meter entulho. Será entulho não editado. Os fundadores da página despedem-se.
Não foi um prazer.





Os Autores

|

domingo, março 06, 2005

O Retrato de Dorian Freitas 

CDS-PP vai enviar retrato de Freitas do Amaral para o Largo do Rato
|

sábado, fevereiro 26, 2005

À Espera de Sócras 

- Que fazemos enquanto não é divulgado o futuro elenco governativo?
- E se nos enforcássemos?

- E agora que já sabemos?
- Tens corda?
|

terça-feira, fevereiro 22, 2005

Between Nowhere And Goodbye 



Halilem e Companhia na hora da despedida: contam algumas testemunhas que se limitaram a pedir «bilhete para o próximo».
Robespierre
|

Meanwhile in Portugal 



Esquerdas radicais iniciam as suas actividades favoritas, num claro prenúncio do que será o País durante os próximos quatro anos. «Estamos entregues à bicharada», comentou à pressa um militante do CDS/PP, pouco antes de se enfiar com a malinha no último avião para Goodbye.
Robespierre
|

Just Take Me Away 



Companhias de «low cost» admitem possibilidade de concentrar toda a sua frota em Portugal. «É uma oportunidade única», declarou um responsável da Ryan Air, explicando que os pedidos são aos milhares e que «estas pessoas não se importam de pagar mais desde que as levem para bem longe».
Robespierre
|

quinta-feira, fevereiro 17, 2005

Requiem pelo Menino 



Cheira a mortos que tresanda. Se há coisa que esta campanha trouxe, foi o cheiro a mortos. Uma náusea de fim de ciclo: o corpo putrefacto da Coligação. Com o seu representante mor a exalar já um perfume do além. Deixamos-lhe aqui um poema, derradeira exéquia à sua governação.

No plaino abandonado
Que a morna brisa aquece,
De balas trespassado
- Duas, de lado a lado-,
Jaz morto, e arrefece

Raia-lhe a farda o sangue
De braços estendidos,
Alvo, louro, exangue,
Fita com olhar langue
E cego os céus perdidos

Tão jovem! Que jovem era!
(agora que idade tem?)
Filho unico, a mãe lhe dera
Um nome e o mantivera:
«O menino de sua mãe».

Caiu-lhe da algibeira
A cigarreira breve
Dera-lhe a mãe. Está inteira
É boa a cigarreira.
Ele é que já não serve.

De outra algibeira, alada
Ponta a roçar o solo,
A brancura embainhada
De um lenço... deu-lho a criada
Velha que o trouxe ao colo.

Lá longe, em casa, há a prece:
"Que volte cedo, e bem!"
(Malhas que o Império tece")
Jaz morto, e apodrece,
O menino de sua mãe.


O menino da sua mãe, Fernando Pessoa
Robespierre
|

quarta-feira, fevereiro 16, 2005

Kiss my Jazz 

O Ray Charles é que a sabe toda! Rapa os prémios todos e nem tem que agradecer...

Richelieu, Cardeal
|

terça-feira, fevereiro 15, 2005

Quando Não Tem Nada a Dizer, Poste Ratas 



Sinhozinho Malta

|

domingo, fevereiro 13, 2005

Quando Não Tem Nada a Dizer, Poste Gajas 


|

quarta-feira, fevereiro 02, 2005

Política 

Acho muito bem que nesta campanha se fale da vida privada dos candidatos. Ora afinal quantas fodas deram e quem é que pega de empurrão? É isto que importa. Não é «reformas fiscais», «sistemas de saúde», «opções de crescimento». Tudo temas encriptados que não interessam ninguém. Continuem com as fodas e terão público - quem sabe votos. Para a política há o blogspot.
Robespierre
|

terça-feira, fevereiro 01, 2005

Prosa Democrata 



[desculpa lá os arrepios, Cardeal, mas este blog chama-se Maus Fígados]
Robespierre
|

Portugalschwitz 

Ainda hoje se celebram os horrores da purga socio-eugénica vivida na europa há mais de 65 anos, mas ainda ninguém reparou que as SS retomaram a sua existência a partir de Portugal. Estas SS estão em sintonia com as nossas contemporaneidades, respingam da mesma vontade exterminadora e a sua acção tem sido envolta num manto traiçoeiro de polidez democrática. De facto, Santana e Sócrates mostram-se imparáveis... só faltava tudo começar numa cervejaria, outra vez.

|

Tag 



Deste artigo perfeitamente idiota (não vou explicar por que é que é perfeitamente idiota - há milhares de blogs políticos em Portugal perfeitamente habilitados para o fazer) (adianto apenas, modestamente, que é perfeitamente idiota). Dizia, deste artigo perfeitamente idiota aproveita-se esta frase,

Para mim, esquerda, esquerda, é o Partido Comunista e os velhinhos de Cuba; esquerda, esquerda, é o Jerónimo de Sousa, cujo fácies parece ter sido arrancado a um mural soviético.

A um mural soviético. Está bem metida sim senhor.
Robespierre
|

segunda-feira, janeiro 31, 2005

Choques 

A coisa alastra. Veio o PS com o «choque tecnológico» e o PSD com o «choque de gestão». Logo o PP apresentou o necessário «choque de valores» para regenerar a pátria. Falta ainda o inevitável «choque sexual» do Bloco de Esquerda e o «choque frontal» do PCP. Também os jornalistas portugueses nos ofereceram, na passada semana, um aparatoso «choque térmico». Enquanto no Iraque decorre um verdadeiro «choque democrático». O vizinho Irão continua a ameaçar um «choque nuclear», mas a América pondera já um novo «choque e pavor». Por cá, Santana Lopes vai-se arrastando à custa de uns valentes «choques eléctricos» e alguns blogs, como este, continuam a produzir o «choque gasoso». Outros, mais generosos, oferecem «chocos com tinta» às melhores frases sobre um padroeiro. Ao passo que este se digladia no seu «choque de interesses».

Não queremos ficar de fora e também já concebemos o nosso choque. Será o «choque comercial», evidentemente, com reduções espantosas no preço dos posts até 20 de Fevereiro.
Robespierre
|

sábado, janeiro 29, 2005

Acham que isto é um post? 

O Machiavelli e a sua prosa gongórica farão parte de algum círculo eleitoral, ou estarão no Brasil?

O Cardeal, não escreve mais bobagens porquê?

O Guillotin era real?

Quantos são agora no Barnabé?

Qual é o mais recente número de vítimas do tsunami?

Quantos blogs há em Portugal?

Quantos desses blogs têm opinião política?

Quantos portugueses meditam ainda sobre a possibilidade de abrirem um blog e emitirem opiniões políticas?

[as três perguntas anteriores para o Brasil]

Quem vai ganhar as eleições?

Em que lugar vai o Porto?

Acham que Paulo Portas significa estabilidade?

Acham que Francisco Louçã significa virilidade?

Acham que Freitas do Amaral significa auto-referência?

O que é auto-referência?

Acham que o Machiavelli estará envolvido na política?

Acham que o Cardeal só escreve bobagens?

Quem lidera o campeonato?

Gostavam que eu acabasse com estas perguntas?

Devia incluir este tipo de questionário como rubrica habitual do blog?

Que significa rubrica habitual?

Sabem quem é o Guillotin?

E o Cardeal?

Será que consigo ocupar toda a folha activa com estas perguntas?

Venho já.

|

Agora 

Depois de uma temporada horrorosa no Brasil. Sei que andou para aí um espécime de mandril, de focinho azul e pronúncia tosca, a difamar a Administração. Sei que tiveram saudades. Que a blogosfera se suspendeu. Sei que esperavam notícias. Uma linha sobre o tsunami. Outra linha sobre a campanha. Duas ou três sobre o Brasil. O Brasil não merece nada. Tem razão este facínora. É terra de pobres e vira latas. Odiei tanto aquilo que nem conto. Estou de volta. E agora.
Robespierre (pouco depois acabar com os vícios de um imigrante)
|

segunda-feira, janeiro 24, 2005

Lucidez tresloucada 

Viver numa grande cidade num período de depressão social como que o que vivemos é um cenário que muito me apraz e, julgo eu, também aos meus tartamudos comparsas de blog.

Mas há momentos que excedem quaisquer expectativas, revelando que, de facto, a necessidade aguça o engenho, como quem diz que até perante a deliciosa loucura destes tempos quem puxa mais pela imaginação ganha o prémio revelação.

E a revelação do ainda curto 2005 veio pela mão de um negro (ou preto, fica à escolha), de pescoço enchumaçado por um cachecol do Sporting, um feliz anátema social certamente ébrio com os recentes golos do portuense Ricardo Sá Pinto, quando hoje atravessava a pé o Marquês.

A felicidade ignara rapidamente seria esquecida não fora um jornal cuja manchete insistia em partilhar com os restantes transeuntes, de braço estendido: a já célebre edição de "O Crime" que dá conta em letras bem gordas da eventual relação fálica entre Sócrates (o político) e Infante (o actor), tese aproveitada da imprensa brasileira, a primeira a expôr o tema sem pudores e sem nada a perder.

A cereja no topo do bolo (como se diz hoje em dia na televisão) era o pregão usado para verbalizar a ansiosa partilha, um simples: "é este o paneleiro...". Estranho, mas só aí é que percebi que esta foi a primeira reacção pública à notícia do semanário. Lúcido amigo preto, que me esqueci de te convidar para este blog...

|

sexta-feira, janeiro 07, 2005

Cuidado, Luís Delgado! (adaptado de Ena Pá 2000) 

Toma atenção, Halilem! Eles andem aí. O Pacheco Pereira tá numa de te zurzir.
Não mostres a ninguém, querido Luís, mas olha o que ele escreveu sobre a tua excelsa pessoa:

"O problema do que escreve (Luís) Delgado não está nas suas opiniões mas na má qualidade dos escritos. Proselitismo acéfalo, mau português, pouca informação, wishful thinking, ressentimento, grau zero de pensamento e ataques pessoais até dizer basta. Se não tivesse as funções de nomeação política que tem (na Lusomundo) nenhum jornal sério o publicaria."

Não achas que deveríamos fazer a folha ao barbudo com mania das geneologias?
Diz qualquer coisa rápida, que tenho aqui à mão uns quantos pretos da Cova da Moura e que me devem um favor. Ou estás a pensar mandar o Morais Sarmento para lhe dar umas chapadas? despacha-te, anda lá...

|

Delação Geral 

Aí, tou de volta seus bandalhos! Seus chifrudos, seus babacas. O veadão do Robespierre continua gemendo no hospital. E falou, entre dores, da vossa Administração. Me disse que é tudo um bando de belfos ascorosos, de corruptos e cocotas. Que odeia essa gente, mas que infelizmente é pago para gostar. Ele disse essa merda e me pediu segredo. Falou: ó negão, não diz nada não. Vacilou. Vou botar a boca no trombone. Vou delatar geral. Agora tenho acesso a essa porra. Acabaram os segredos. Tá fodido, meu irmão. Vai ser por capítulos.
Brasileiro Ressabiado da Porra
|

quinta-feira, janeiro 06, 2005

É do frio 


Depois do senhor Rob ter fugido para o Brasil, descobri agora um amigo que se meteu para a Madeira, anda tudo a fugir ao frio. Claro que o objectivo dele é passar por Câmara de Lobos a ver se descobre uma noiva, mas entretanto já foi convidado para os bailes dos VIP madeirênses. Encontrou este postal - que pelos vistos é a tia mais in lá do sítio - e reenviou-me. Sa alors.
J-I
|

quarta-feira, janeiro 05, 2005

Robespierre Se Fodeu 

Aí galera enfezada! Ocupei essa porra aí só pra dizer que o Robespierre, esse alemão filha da puta, passou aqui no Brasil pra insultar pessoalmente. Não bastava a conversinha de merda, de português otário, aqui no blog. Não. O camafeu veio até aí xingar o povo. Vai. Daí, tomou porrada na costoleta e ainda está na urgência. Continua insultando, o berimbau. Dizendo besteira atrás de besteira. Xinga todo o mundo. É enfermeira, médico, xinga seus próprios colegas. Fala mal do Cardeal, esse caralho. Diz que o Machiavelli é o maior veado. E do Guillotin diz que é um Brasileiro. A gente não tá suportando não. A gente vai quebrar a fuça dele. Me aguarde. E então. O cara me deu cem reais pra eu vir aí comunicar sua ausência. Vou aproveitar pra xingar vocês, seu povo de merda!
Brasileiro Ressabiado da Porra
|

sexta-feira, dezembro 31, 2004

Secão de latão 


A tarde de hoje, ou a noite já não sei, vai ser ocupada na televisão pública portuguesa pelo "Sequim de Ouro". Esta velha tradição da Velha Europa entedia-me profundamente e, tal como a música dos Metallica é utilizada para sessões de tortura dos presos muçulmanos de Guantanamo, eu seria um livro aberto se me apontassem um holofote à cara e pusessem o "best of" do "Sequim de Ouro" no rádio.
Quando ouço falar de "Sequim de Ouro" apetece-me puxar da arma.
E acho que os organizadores deste certame (adoro a palavra certame) deveriam ser acusados em Monsanto, ou lá onde é, juntamente com os que alegadamente pervertiam os anjinhos da Casa Pia.
J-I Guillotin
|

Falam, falam 

Ontem levei uma rabecada de um dos elementos da administração deste blog (acho que agora se escreve assim, sem "ue"). Fui quase convidado a baixar as calcinhas ou a mostrar a perna na esquina se quisesse voltar a ser alguém, nem que fosse um pingo de gente, ou um pingo de líquido biliar. Como estou quase português depois destes meses por cá (o negócio de cortar cabeças não funciona aqui, pois a maior parte dos políticos gosta de pôr a cabeça no cepo e automutilar-se em seguida), fiz o que fazem os vossos compatriotas: verguei a cabeça e assenti (concordei, se não for com dois ss corrijam.
Também é certo que não tenho muito para dizer. A não ser que a administração se queixa mas há dez dias que não posta nada, o que também é perfeitamente normal por cá, pelos vistos.
J-I Guillotin
|

terça-feira, dezembro 21, 2004

Prémios 2004 

Temo-nos furtado a estas coisas, mas a verdade é que reconhecemos a importância de atribuir uns premiozitos no final do ano. Fomos sobretudo inspirados por este blog, que com a sua imensa lista e generosidade nos dá a conhecer um pouco mais sobre o autor - o que é sempre louvável e reconfortante. Achamos óptimo ficar a saber o que as pessoas leram ou comeram, a que blogs foram, de que filmes gostaram. É fascinante esta coisa dos blogs também por isso.

Assumimos então a responsabilidade e o odor dos tempos, publicando aqui uma pequena lista de prémios que os respectivos vencedores poderão levantar junto da nossa administração. Para já, seguem apenas os prémios relativos a blogs. Se houver tempo, publicaremos ainda a lista dos melhores bazares chineses.

Prémio Finalmente um blog de jeito e escrito por um cara que vê o mundo a partir da cobertura, for all that matters

Prémio Kapital/Nova Gente

Prémio Obrigado pelos Desktop

Prémio O incompreendido

Prémio Escrever com tiques de brasileiro é giro! 'Bora aí todos fazer como eu!

Prémio Qualquer dia emigro, que esta língua irrita-me

Prémio Campo de concentração

Prémio As melhores bifanas

Prémio Sou da altura do Bush (1,80) e quase tão esperto como ele

Prémio Sapatilhas Sanjo

Finalmente, aos blogs que nos lincaram ao longo do ano,

Prémio Especial Procurem Ajuda Psiquiátrica

A todos que não foram contemplados - e que estavam à espera de ser e levam a mal ficar fora destas coisas -, um pequeno conselho: abram um bazar chinês.

Maus Fígados, S.A.
|

This page is powered by Blogger. Isn't yours?

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com